AS VÁRIAS OPÇÕES DE VOTO DISTRITAL

VOTO DISTRITAL MISTO

EM ÚLTIMA INSTÂNCIA QUEM MANDA MESMO SOMOS NÓS,

E ISSO SÓ NÃO ACONTECE DE FATO PORQUE NÃO TEMOS CONTROLE

SOBRE AS AÇÕES DE NOSSOS REPRESENTANTES NO CONGRESSO NACIONAL,

E O PODER EXECUTIVO NÃO GOVERNA SEM ELES

NÃO CUSTA SONHAR, mas ninguém aguenta mais esses candidatos a presidente  (não deixe de clicar no link) “bons de papo” e com a verve discursiva afiada, transbordando segurança, mas que, quando eleitos, tem pela frente um congresso formado por deputados iguaizinhos a ele, e com a mesma enrolação.
 Há muito tempo deixei de acreditar em nosso sistema político, menos ainda nesses políticos bom de papo.
 Excluo desse MEU voto distrital o voto para vereador  e mudo para uma porcentagem mais democrática na escolha dos candidatos para deputado estadual e federal:
- Na primeira votação 70%  (+-)os candidatos seriam escolhidos nos distritos
-Na segunda votação apenas 30% (+-)  dos candidatos seriam escolhidos pelo partido, com votação em todo o estado.

Mais uns dez ou quinze anos para testar se houve mesmo moralização na política, aí então promover outro plebiscito para saber se a população quer mesmo continuar com o presidencialismo ou se prefere mudar para o sistema PARLAMENTARISTA