O SEMEADOR DE ESPERANÇA

VANESSA APARECIDA TOSTES
Aluna do 1º  ano do Ensino Médio  da E. E. Dr. Olavo Testes, de Muriaé.
Trabalho apresentado no Concurso promovido pela Fundação Assis Chateaubriand

  Promoção: "Exemplo de vida em minha cidade"

 

            Meu filho, em um “depoimento” em meu Orkut, disse: "Papai é a face mais imaterial do meu lar” (coloquei no link abaixo). E fiquei pensando muito no assunto, já que tem hora que acho isso mais defeito que qualidade.
           De certa forma, todos somos muito apegados a valores e cada um ostenta os seus, de acordo com suas carências e necessidades. Essa postagem é um exemplo claro dos valores que insisto em "acumular", já que as atuais politicas de valorização do professor não me permitem mesmo outra opção.
            Minha querida aluna, Vanessa Tostes, uma semeadora de auto-estima, participou de um concurso, cujo tema era: “Exemplo de vida em minha cidade”, onde fui carinhosamente idealizado e supervalorizado, e que sempre releio quando minha autoestima está baixa.
            A Superintendência de Ensino descobriu o texto, contratou uma profissional para gravá-lo e o usou em um curso que tratava do relacionamento professor e aluno.
            Eu participava deste curso e durante os trabalhos, colocaram a fita e, quando identifiquei o texto, tive uma crise de choro incontrolável... beirando ao ridículo... um verdadeiro "micão".
            No final, como consolo, ganhei uma cópia de presente, escutei algumas vezes, e a própria tecnologia encarregou-se de colocá-la no esquecimento.
            Alguns dias atrás vi um anúncio de uma pessoa que fazia conversão de fita cassete para CD e levei a minha. Socializo com vocês este meu tesouro particular 

 

 

       


    Nasci na grande São Paulo, na cidade de Guarulhos, mas não foi lá que cresci e construí meus sonhos.
    0 desemprego, um dos  males de nossa realidade, fez com que meus pais regressassem a sua gente, sua terra e suas raízes, e nos trouxessem para Minas Gerais, estado onde nasceram e onde vive a maioria de meus parentes até hoje.
    A historia de nossa família esta plantada na cidade de Muriaé, cidade que conheci aos três anos de idade, cidade que amo e que participa de minha história.
    Plantei no chão desta cidade meus sonhos mais irrealizáveis, meus desejos mais abstratos. Meus anseios se libertam no céu de Muriaé e partem em busca de um mundo desconhecido.
    É enorme a minha vontade de ampliar meus horizontes, de descobrir novos lugares, de expandir meus conhecimentos.
    Sou uma jovem como milhares de outras, que sonha com a realização de seus sonhos, que acredita na força da juventude e na construção de uma nova humanidade.
    Trago em meu universo interior, as marcas de uma geração da qual faço parte, onde os valores são na maioria das vezes, vazios e egoístas.
    Apesar de toda miséria humana, ainda existem pessoas dispostas a manterem o espírito puro e o coração sereno, pessoas que trazem na alma o otimismo, que são o reflexo da busca: semeadores de esperança!
    Não posso me conter ao ver alguns corações expressarem a infinita bondade que ainda insiste em sobreviver, neste século, onde a preocupação com as limitações psicológicas não são satisfatórias.
    Com esta introdução, quero falar de um homem que possui o coração do tamanho do universo. Um homem comum, cheio de preocupações com o trabalho, com a família, com seus planos e sonhos; seu nome é Fernando, mas deveria ser "semeador de Esperança"
    Professor de História, grande amigo, este homem tem um sorriso largo capaz de abrigar toda a humanidade. É raro encontrar pessoas com tamanha humildade e respeito ao próximo; por isso, a importância desse ser humano em minha vida é muito grande.
    Por motivos que só eu mesma entendo, me tranquei num deserto de solidão, onde minha fé e minha esperança estavam cansadas. Por mais sem lógica que possa parecer, não conseguia enxergar a beleza da vida.
    Não entendia o motivo daquela dor, não desejava conversar com ninguém. A depressão atormentava minhas noites e meus dias. Tinha medo do desprezo e do abuso das pessoas, me sentia uma pessoa que não se encaixava na vida.
    Ninguém conseguia me entender, e eu ouvia sempre a mesma coisa: "... isso é só uma fase de adolescente, vai passar." Realmente passou, tudo melhorou, mas não por causa dos "conceitos formados", e das "respostas prontas". E sim, porque encontrei alguém capaz de se dividir em pedaços para compreender, de uma maneira ampla, o universo dos sentimentos humanos.
    Fernando, além de um ótimo professor, ensina uma das coisas mais escassas da convivência diária: a humildade e o respeito pelas opiniões contrárias às em que acreditamos. Suas aulas, mais do que interessantes, foram páginas lindíssimas do livro de nossos dias.
    Era fácil perceber o amor pela profissão, pela esposa e o orgulho dos filhos. Ainda que eu deseje definir o sentimento fraterno que domina meu espírito ... é impossível! Foram muitas as palavras de estímulo, foram muitos os olhares sinceros, e tudo isso se transformou em fragmentos de minha história.
    Poderia escrever sobre muitas pessoas e assuntos menos ligados às minhas limitações íntimas, mas sei o real valor de se encontrar seres que estimulam a auto-estima, que semeiam a esperança, e que abrem novas portas para a descoberta da paz.
    Aprendi com o Fernando a arte de cativar e de deixar-se cativar. Aprendi a acreditar na capacidade do ser humano e, logo, em minha própria capacidade.
    Na realidade, o que existe atrás de cada olhar indiferente, é um coração carente de amor, de atenção. Se hoje minha visão se abriu, e se amo a vida, um dos responsáveis é um homem chamado Fernando, que é educador, poeta, irmão, menino e exemplo de vida em minha amada cidade, porque, além de professor, sabe der asas e cores à imaginação de todos os que cruzam seu caminho!
     Espero que a humanidade possa ter milhares de Fernandos, pois acredito que o sol ainda brilha, porque ainda existe, quem antes de ser marcado pelas dores da nossa medíocre existência, seja um semeador de esperança!
    0 que resume todo sentimento ao Fernando é esta eterna gratidão pelos olhares serenos e palavras de estimulo que desacorrentaram meus pensamentos da prisão.


 

                                          Para quem não entendeu o que meu filho, Fernando Fellipe, quis dizer com "Olha o biço, papai!": CLIQUE AQUI para salvar o áudio, é que na hora uma mariposa sobrevoava nossa sala e pousou em mim.

(...) todos somos muito apegados a valores (link acrescentado em 20/11/2010) e cada um ostenta os seus, de acordo com suas carências e necessidades"... Estes são os meus, e estas são as minhas carências.

TEU SONHO NÃO ACABOU
Taiguara - Composição: Taiguara
Hoje a minha pele já não tem cor
Vivo a minha vida seja onde for
Hoje entrei na dança e não vou sair
Vem que eu sou criança não sei fingir
Eu preciso, eu preciso de você
Ah! Eu preciso, eu preciso, eu preciso muito de você
Lá onde eu estive o sonho acabou
Cá onde eu te encontro só começou
Lá colhi uma estrela pra te trazer
Bebe o brilho dela até entender
Que eu preciso...
Só feche o seu livro quem já aprendeu
Só peça outro amor quem já deu o seu
Quem não soube a sombra, não sabe a luz (CLIQUE, apenas uma das muitas sombras)
Vem não perde o amor de quem te conduz
Eu preciso... Nós precisamos, precisamos sim
Você de mim, eu de você.

Mais Taiguara

COMENTÁRIOS NO BLOG, CLIQUE AQUI

E UM LINK DE UMA HOMENAGEM QUE RECEBI DUAS DÉCADAS DEPOIS: CLIQUE AQUI

 

 

 VOLTAR